Look da Anita

Neste calor assombroso que andou fazendo por estas bandas a vontade foi/é de pegar a bolsa e sair pelada gritando feito uma louca pela rua, não? Tá.. não, ok! Mas não tá muito longe disso também, né!? Conseguir uma roupa digna para sair nesses dias de temperaturas extremas nãaaaaofáceeeeeo!

Daí que uma bela solução é pegar aquela camisetinha, básica da básica (que você, inclusive, comprou na seção “teen” das lojas de departamento) e montar seu look a partir dela. Foi o que fiz! Tudo muito simples, fresco, mas que permitiu um resultado bem legal. Quando você está com preguiça de pensar em muitas roupas, ou está realmente sem suportar o calor, o truque é caprichar nos acessórios, no cabelo e, a depender da situação, até na maquiagem. Isso vale até para um short jeans e uma camiseta! O que acham? Consigo passar pelo calor assim?

Fotos: Lucinha Machado Fotografia (@lucinha_fotografia e lucinhamachado.fotografia@gmail.com)06_AnitaBemCriada-15606_AnitaBemCriada-14406_AnitaBemCriada-14906_AnitaBemCriada-14706_AnitaBemCriada-15006_AnitaBemCriada-141Saia: Zara; camiseta: Renner; cinto: Riachuelo; bolsa: MOB para C&A; óculos: B. Terner; sandália: Luiza Barcelos

Meu cabelo e eu!

Não é de hoje que recebo perguntas sobre como cuido do meu cabelo, o que fiz/faço para ele crescer tão rápido, etc e tal. Já faz muito, muito tempo mesmo que recebi o primeiro pedido desse tipo e, nos últimos tempos, eles têm sido bastante frequentes. Sabia que este não seria um post rápido de ser feito, afinal é uma vida capilar envolvida (haha), por isto demorou um pouquinho mais para sair. Eis que, finalmente, consegui sentar especificamente para isto e vou contar um pouquinho do meu “histórico capilar”, bem como, também, vou contar o que hoje faz parte da minha rotina de cuidados cabelísticos (que vocês vão até se surpreender do quanto ela é simplificada).04_AnitaBemCriada-64Bom, desde pequenininha eu sempre tive cabelo curtinho. Em algumas épocas, do estilo Joãozinho mesmo, sabe? É que, como já contei aqui, passei a maior parte da minha infância no interior, na cidade de Conceição do Mato Dentro, e quem viveu algo parecido, deve lembrar bem do pavor que as mães tinham dos terríveis piolhos..kkk. E com Mamita não foi diferente! Ela, apavorada com a quantidade de piolhos em potencial, tratou logo de “surecar” meu cabelo e eu, revoltadíssima, assim fui, aos poucos, crescendo e me conformando.

Até que, já crescidinha, e já “dona do meu cabelo nariz”, resolvi que dali pra frente eu nunca mais teria cabelo curto. Trauma de infância mesmo..rsrsrs. E assim cheguei à fase adulta: cabelo grande a maior parte do tempo.

Meu cabelo é naturalmente cacheado, com fios mais para finos do que para grossos, e sempre muito volumoso. Sempre me deu muito trabalho, especialmente há uns booons anos atrás, em que nem sempre tínhamos à mão bons produtos ou bons serviços. E vocês sabem, né, cabelo cacheado dá muuuuito mais trabalho do que cabelo liso. Não estou aqui entrando no mérito de qual é mais bonito ou não, até porque, vejo beleza nos dois. Mas que é inegável que a logística do cabelo cacheado é muuuuito maior, ah, isso é!

Nos posts iniciais do ANITA, lá pelos idos de 2010, fica fácil encontrar looks com meu cabelo beeem ao natural. Para quem não me acompanha desde lá, fiz aqui uma seleçãozinha com algumas fotos que mostram bem como meu cabelo é realmente, ou seja, cacheado, volumoso e sempre grande. Mas já adianto! Por mais que amasse e ame um cabelo liso, eu sempre gostei dos meus cachos, mesmo com todo trabalho que me davam/me dão.Quadro cachosMesmo gostando do meu cabelo cacheado, fato é que o trabalho despendido era grande. Foi aí que ouvi falar, na época, de uma tal “escova progressiva anelada”. A profissional que fazia este trabalho me garantiu que o efeito era apenas de reduzir o volume, mas nunca de tirar os cachos. Pensei: “Poxa, perfeito!” E, então, resolvi encarar a novidade.

Após a tal “escova progressiva anelada” meu cabelo ficou como toda mulher pedia a Deus – pelo menos num primeiro momento. Isto é, cachos nas pontas, volume suuuuuper reduzido, e raiz mega ultra lisa. Perfeito! Era coisa de lavar e ir pra rua (algo que não existe pra mim!). Até que, com o passar dos tempos, notei alguns probleminhas surgirem: o primeiro foi uma oleosidade absuuuuuuurda na raiz. E isto eu nunca fui de ter. Ao contrário, meu cabelo sempre foi muito mais para ressecado do que para oleoso. E depois do procedimento, passei a me incomodar muito com isso. Outro ponto negativo foi que meu cabelo começou a “ralear” um pouco. Começou a cair mais que o normal e isso dá para ver nitidamente numa das minhas fotos abaixo (a que esstou com rabo de cavalo).Quadro pós progressivaMas de tudo, o pior foi o seguinte: passado algum tempo, começou a crescer a raiz do meu cabelo, e, apesar dela nunca ter sido rebelde, também nunca foi lisa, então, a esta altura, vocês já podem ter uma ideia da minha aflição, né!? As duas alternativas que surgiram foram: retocar a raiz, e assim, me tornar escrava daquilo.. ou, encarar atéeeee a renovação total do meu cabelo.

E foi isto que decidi fazer! O cabelo cresceu o máximo que consegui daquela forma, até que tive que cortar. E aí, tentem visualizar comigo: o cabelo tinha três partes: raiz alta + parte central lisíssima + pontas cacheadas. Lindo, né!? So que não!!! Quando fui cortar, pedi à pessoa que tirasse apenas dois dedinhos e… pronto! Me tirou mais de um palmo de cabelo. Resultado? Desespero! Os cachos acabaram e meu cabelo ficou o inverso do que se espera de um cabelo bonito: raiz alta e pontas “esticadamente lisas”. Uó! A saída: passei a ter que viver de escova! Estas fotos aí embaixo foram tiradas na mesma semana do “corte radical”. Lindo se não significasse “escravidão”.Quadro logo após corteTive que encarar essa nova condição e eu que, mooooooooooorro de preguiça de passar horas em salão, acabei tendo que me render, frequentando-o com mais compromisso. Este tal “corte radical” já tem quase dois anos e hoje, após vários idas ao cabeleireiro ao longo desse período, restam apenas uns três ou quatro dedos de “parte lisa”, ainda da tal “escova progressiva anelada”. Não vejo a hora de cortar, o que devo fazer logo, e poder ser livre e fazer escova/babyliss SE eu quiser e QUANDO eu quiser! Afinal, um cabelo anelado ao natural pede um acabamento, um leave in nas pontas e tal. Com este finalzinho extremamente liso que ainda me resta, nada altera aquilo ali! Só mesmo um babyliss ou escova.

Encarada a situação, passei a me divertir com ela. No meio desse tempo eu fiz um clareamento das pontas (o que é bem coerente com a minha preguiça de salão-escravidão), já que não há obrigação de retocar a raiz. Tinha acabado de fazer nesse dia, o que dá para perceber pelas linhas mais acentuadas das mechas. Com o tempo elas “se diluem” e se espalham mais naturalmente no cabelo. As mechas eu fiz no Hélio Diff, unidade Lago Sul, em Brasília, com o Pedro Diego.fotoE também passei a gostar do efeito escova, escova + babyliss e escova + mira curl. Fiz algumas montagens para vocês verem cada situação. A parte chata é que eu não sei/não consigo fazer escova em mim. Infelizmente eu não consigo. A parte boa é que no babyliss/no mira curl eu me garanto!

Aqui embaixo alguns registros do meu cabelo com escova + babyliss (todos eu mesma que fiz)Quadro baby liss

Nesta seleção, alguns registros do meu cabelo com escova + mira curl (aquele aparelinho azul que faz os cachos sozinho)Quadro escova com mira curl

Neste quadro, uma seleção de registros com meu cabelo só com escova. É o que menos, pois acho que é o que menos combina comigo, mas andei adorando variar e gostei dos últimos resultados.Quadro escova lisa

Finalmente, descobri que posso usar o Mira Curl sem precisar fazer escova antes. Claro, isso para quem tem cabelo liso é até óbvio. Mas não é o meu caso! Então peguei uma manha, que é a seguinte: lavo o cabelo e deixo secar normalmente. Depois, prendo num coque, bem ajustadinho, bem presinho, para diminuir o volume e domar a fera. Feito isso, o cabelo, já mais assentado, especialmente a raiz, permite tranquilamente o Mira Curl, que foi o que fiz nestes dois registros aí embaixo.Quadro mira curl sem escova

 

CUIDADOS COM O CABELO

 

Bom, depois de tanta “mexida” no cabelo, vocês me perguntam: você deve fazer acrobacias para cuidar desse cabelo, né!? E eu respondo: Talvez até devesse. Mas não tenho tempo e nem paciência.

- PARA ACELERAR O CRESCIMENTO: logo que a doida lá tosou o meu cabelo (lembrando que pedi para aparar as pontas!!), fui no dia seguinte à minha dermatologista, perguntar o que eu poderia fazer para acelerar o crescimento do meu cabelo. Ela, claro, me pediu  vários exames antes para ver se havia alguma problema, e constatou que não havia. Apenas uma pequena deficiência de vitamina D. Então, atribuo realmente o crescimento do meu cabelo à ingestão da vitamina D (só os médicos podem dizer a eficácia em cada caso), aliado aos cortes na lua crescente/nova (nem todo mundo acredita nisso e até eu mesma tenho dúvida). Mas pelo sim, pelo não, acho que super deu certo.DPura

- PARA LIMPEZA DO CABELO: mais até do que hidratar o cabelo, eu me preocupo em saber lavá-lo. Uma grande descoberta na minha vida foi realmente não deixar nada de resíduo (máscara ou condicionador no fio). Eu acho que cresci pensando que o certo era deixar um pouquinho de creme no cabelo e só quando resolvi fazer diferente é que acho que meu cabelo começou a ficar mais leve, mais solto.. Vez ou outra eu uso um shampoo para tirar resíduos, de forma mais profunda, e acho que isso super ajuda. Mas tem que ser beeeem de vez em quando mesmo, sei lá, umas três vezes por semestre me parece um tanto bom. Eu costumo usar “três mãos” de shampoo para uma de condicionador. Este “Anti Pelliculaire” da Vichy é o que uso quando quero fazer uma limpeza mais profunda no cabelo;Vichy

- PARA HIDRATAR O CABELO: como faço muita escova e uso muito babyliss/mira curl, além das pontas mais claras e, ainda do resto de progressiva, preciso cuidar para o cabelo não ficar igual uma “palha”. Porque, olha, fica, viu!? Me orientaram a fazer hidratação toda semana, mas eu não consigo. De novo, preguiça e falta de tempo. Então ento fazer a cada quinze dias, o que nem sempre consigo, mas não costumo deixar passar de um mês. Em geral faço direitinho, no tempo da máscara, coloco uma touca, faço massagem e tal. Mas, quando não dá, uso uma máscara no lugar do condicionador, tento deixar agindo um pouquinho e pronto. O Aussie (3 Minute Miracle) é uma ótima opção para isto.Aussie

- TENHA BONS PRODUTOS: finalmente, mas sei que isso é pessoal e vai de cada um, eu não abro mão de bons produtos. Não me importo com marcas de roupas, uso de todo tipo, etc. Mas tem coisas (como cosméticos e maquiagem) que realmente faço questão de caprichar. E os produtos para os cabelos são uma opção. Abaixo vou mostrar o que estou usando HOJE em dia! No decorrer de todo o tempo do blog, todas as dicas postadas aqui foram de produtos que eu estava usando na época: máscaras, óleos, shampoos, etc. Mas atualmente eu fico com estes produtos aqui:

Linha VICHY (conhecida como botox capilar – shampoo + condicionador + pré-condicionador)Botox Capilar

Linha reconstrutora KERASTASEKerastase.

Shampoos Kerastase (gosto de comprar alguns isolados, para quando quero finalizar a lavação com máscara no lugar do condicionador). O laranja é para cabelos cacheados e o dourado é um “elixir” para lavar os cabelos. Obs.: Kerastase eu realmente confio e dou certo.kerastase

E, para finalizar, algumas máscaras que hoje estou usando: a primeira, da LÓreal, para cabelos tingidos; a segunda, da Kérastase, para nutrição do cabelo, e a última, Schwartzkopf, para mais ou menos isso também.Máscaras

Como disse, esses são os produtos e cuidados que tenho hoje. Mas, no passado, já usei babosa no cabelo (quis morrer de tanto coçar!), já usei mel, leite, açúcar, todos os ingredientes da cozinha, praticamente. Já usei muito abacate misturado com alguma máscara, e também, muitos finalizadores. Mas como hoje a ponta do meu cabelo não permite isso ainda, não tenho usado nada de leavi in, óleo, nada nada. Ah, a frequência de corte hoje é bem pequena. Corto umas três vezes no ano só. Mas se eu adotar um novo corte, com certeza a manutenção será mais precisa.

Então é isso, gente! Espero ter ajudado algumas, matado a curiosidade de outras, divertido outro bocado com estas fotos antiguinhas e não chateado quem ficou com preguiça por conta do tamanho do texto. Mas achei super legal reviver essa “história” e compartilhar aqui com vocês! Qualquer dúvida/esclarecimento estou super super à disposição nos comentários! E obrigada pelos elogios de sempre. De coração! <3

Look da Anita

Uma roupa prática, que te deixa pronta em poucos minutos, confortável e ainda elegante? O que mais uma mulher pode querer!? Pois é, a proposta do chemisier (que esse “vestido camisa” – para alguns, conhecido por vestido polo, já que os botões não vão até a parte de baixo da roupa) é exatamente esta. Uma peça “democrática”, que se adequa a quase todo tipo físico, sempre com muito estilo e, em gera, frescor (agrademos nesse calor absurdo, não?). Sabendo-se usar as estampas a seu favor – por exemplo, as estampas com fundo escuro ou com “motivos” miúdos provocam uma sensação de contração, o que afina a silhueta, além de alongá-la, esta é uma peça super aliada e muito bem-vinda no guarda roupa da mulher moderna (que trabalha, que se cuida, que tem pouco tempo para se preocupar com isso, mas que não abre mão de se vestir bem!).

Essa estampa da Engenharia da Roupa me “pegou de jeito”! Clássica, elegante, mas nem por isso careta. Estampa linda, caimento perfeito, praticidade garantidas! O que acham da ideia do chemisier?

Fotos: Lucinha Machado Fotografia (@lucinha_fotografia e lucinhamachado.fotografia@gmail.com)
07_AnitaBemCriada-24807_AnitaBemCriada-23407_AnitaBemCriada-21507_AnitaBemCriada-24007_AnitaBemCriada-19907_AnitaBemCriada-20507_AnitaBemCriada-23607_AnitaBemCriada-220 Vestido: Engenharia da Roupa; scarpin: Schutz; bolsa: Santa Lolla para C&A; óculos: B. Terner; batom: Diva, MAC

Decote “ombro a ombro”

Vocês devem ter notado por aí como o decote “ombro a ombro” andou invadindo os cenários aqui e acolá, né”? Acho que com essa avalanche de frentes quentes então, o opção fica ainda mais propícia. Esse tipo de decote, deixando os ombros descobertos, consegue ser sensual, sem ser vulgar, elegante e.. fresquinho!

Pois é muita gente aderindo ao decote ombro a ombro (alguns chamam de decote ciganinha ou, a depender do modelo, “gola canoa”), mas alguns cuidados devem ser observados. Esse tipo de decote é mais indicado para quem tem os quadris mais avantajados, pois ao deixar os ombros à mostra, automaticamente se valoriza esta região do corpo, provocando uma “ilusão de ótica”  de que o ombro também é mais largo. Com isto, consegue-se equilibrar as formas do corpo feminino, alcançando o tão desejado efeito “ampulheta”, considerado o tipo físico perfeito em termos de consultoria de imagem.

Por outro lado, deve ser evitado para quem tem ombros muito largos (vejam, porém, que, cada caso deve ser analisado) ou seios muito grandes. É considerando um vilão para quem tem o corpo no formato de “triângulo invertido” (ombros largos e quadril estreito) já que amplia desproporcionalmente a parte superior do corpo para quem já a tem maior.

Nem todo mundo tem conhecimento das técnicas de consultoria de imagem, mas o bom e velho espelho sempre vale. Perguntar pra mãe, pra irmã e até pro marido também é uma boa alternativa. Desenvolver a sensibilidade ajuda e muito nessas horas. Vejam aqui algumas seleções. Acho muito legal!cigana-1024x837oscar12-AlexmjhsgMelissaLIndsayLupitaZoedfvChanelasfafImagens: Google (reprodução)

Look da Anita: dia 2 – Minas Trend Preview Outono/Inverno 2015

Aqui segue o segundo look usado no Minas Trend Preview que aconteceu aqui em BH na semana passada. Este look eu tenho um carinho muito especial. Isto porque a estampa do conjunto foi desfilada pela primeira vez naquela mesmo desfile, na passarela da B.Bouclé, cujo tema do desfile foi “Você em fome de quê?” A ideia surgir a partir dos moradores de rua, numa proposta super legal, e aí, as frases e imagens do tecido foram tiradas dos muros e paredes pixadas.

Muito gente achou que era um vestido, mas na verdade, é uma saia midi (amo!), com esse cropped que não aparece a barriga e que tem um decote bem lindo atrás. O caimento do tecido é perfeito e, além de me sentir bastante elegante, o conforto imperou. Espero que vocês gostem!

Fotos: Lucinha Machado Fotografia (@lucinha_fotografia e lucinhamachado.fotografia@gmail.com)
MTP_AnitaLook2-6MTP_AnitaLook2-16MTP_AnitaLook2-35MTP_AnitaLook2-9MTP_AnitaLook2-8MTP_AnitaLook2-37MTP_AnitaLook2-21MTP_AnitaLook2-39Look todo B.Bouclé; cinto: Vivian Cavalcanti; scarpin: Schutz; bolsinha (era da minha avó); batom: Flat out Fabulous, MAC

1 de 17612345...Última